Cantinho da Lilly

Início/Cantinho da Lilly
2808, 2017

A palavra convence, mas o exemplo SEMPRE arrasta.

Por  Nurya Ribeiro               Como diz o velho ditado popular: É fácil falar, mas quero ver fazer… Isso é tão atual!   Outro dia pensando sobre educação de crianças, comecei a ver o quanto exigimos coisas que nós mesmos não fazemos. Claro, que queremos o melhor para nossos filhos. Mas o que é esse melhor? Como podemos ensinar algo para crianças que vivem em mundo de fantasias, algo que nem praticamos? E, ainda exigimos! Falamos, ou melhor gritamos, no auge do nervosismo ao ver brinquedos espalhados e quebrados que “aquele pequeno ser não dá valor para nada”. Pois é, algum dia você o ensinou a agradecer depois do almoço pela comida maravilhosa? Ensinou que ter braços e pernas é um privilegio? Que acordar é um milagre? Pois é, nós pais somos o ‘Norte’ dessas crianças, em outras palavras, se você não fizer não adianta nem falar. Pensando nisso comecei a bolar como ensinaria meus filhos a serem gratos e descobrirem que a vida é um presente divino. Parei em uma papelaria e comprei três caderninhos, um para cada filho, e um que eu faria pela família. Cheguei em casa e falei que a partir daquele momento eles teriam que chegar ao final do dia e me falar algo bom que D’us tinha feito por eles. E, isso ocorreria todos os dias. Claro, que o Universo é tão abundante que quando pensamos que estamos fazendo algo bom para o outro, na verdade nós estamos ganhando. E, isso ocorreu… Eles acordavam de manhã seguinte e começaram a descobrir os presentes que nos ganhamos todos os dias, e as lições começaram a serem colocadas em pratica: “D’us obrigada pela minha vida…, por eu enxergar, por eu ter banheiro -assim não fico sujo, pela minha família, pelo meu

2208, 2017

Empatia, palavra da moda, mas tão longe da realidade.

Por Nurya Ribeiro Segundo o dicionário Aurélio, EMPATIA significa forma de identificação intelectual ou afetiva de um sujeito com uma pessoa, uma idéia ou uma coisa. Lindo né? Mas na prática - para muitos - se essa ‘tal identificação’ não fizer parte do que você acredita a empatia fica, muitas vezes, quase que ‘intragável’. Não satisfeita com a explicação do Aurélio, recorri ao Michaelis, e tudo fez mais sentido, está escrito: “Habilidade de imaginar-se no lugar de outra pessoa”! A verdade é que se você não se por - realmente - no lugar da outra pessoa - nada faz sentido. Em tempos de redes sociais, o julgamento virou essencial para a maioria das pessoas. Xingar, gritar, mandar indiretas, colocar se em uma posição ‘elevada entre outras baixarias, virou parte do cotidiano. As pessoas se alimentam de ‘comidas pouco nutritivas’ - nesses canais - e com isso vão jogando no ventilador a porcaria toda. Achamos que temos liberdade, e temos mesmo, mas o que fazemos com ela? Esquecemos que para ter a completa liberdade precisamos estar em eterna vigilância. Viramos juízes, capazes de detonar a vida de quem não concorda com a gente. Há aqueles que além de expor a própria vida, se acham no direito de expor daquele que não suportam isso. Somos mal educados na arte de viver e entender como viver bem. Valores são formados em notícias de ‘politicamente correto’. Mas o que seria o correto se ao olhar para o outro, não consigo ver a minha própria dor? Todos temos as mesmas dores! Se um é negro, judeu, católico, evangélico, sofrem dos mesmos preconceitos… Por que um nazista, e isso me dá arrepios ao escrever, porque em 2017, anos depois de Holocausto, há pessoas - e muitas - que ainda se encantam com esse tipo de barbaridades, não

2404, 2017

PERFEITO… PERFEITO….

Texto cheio de dicernimento de Pierre Teilhard de Chardin (Nascido em Orcines, 1 de maio de 1881 — Falecido em Nova Iorque, 10 de abril de1955), que foi um padre jesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogo francês que tentou construir uma visão integradora entre ciência e teologia: "A religião não é apenas uma, são centenas. A espiritualidade é apenas uma. A religião é para os que dormem. A espiritualidade é para os que estão despertos. A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados. A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior. A religião tem um conjunto de regras dogmáticas. A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo. A religião ameaça e amedronta. A espiritualidade lhe dá Paz Interior. A religião fala de pecado e de culpa. A espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro".. A religião reprime tudo, pode te fazer falso. A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro e consciente! A religião não é Deus. A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus. A religião inventa. A espiritualidade descobre. A religião não indaga nem questiona. A espiritualidade questiona tudo. A religião é humana, é uma organização com regras. A espiritualidade é Divina, sem regras. A religião é causa de divisões. A espiritualidade é causa de União. A religião lhe busca para que acredite. A espiritualidade você tem que buscá-la. A religião segue os preceitos de um livro sagrado. A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros. A religião se alimenta do medo. A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé. A religião faz viver no pensamento. A espiritualidade faz Viver na Consciência.. A religião se ocupa com fazer. A espiritualidade se ocupa com Ser. A religião alimenta o ego. A espiritualidade

0
Connecting
Please wait...
Envia uma mensagem!

No momento não há analistas on-line, envie uma mensagem que lhe reponderemos por e-mail assim que possível

* Nome
* E-mail
* Telefone
* Assunto
Entrar agora

Dúvidas complexas? Poupe tempo através de nosso formulário de contato.

* Seu Nome
* E-mail
* Assunto
Estamos On-line!
Feedback

Deixe-nos saber o que achou de nosso atendimento.

Seu problema foi resolvido?