Sorrir ainda é um dos melhores remédios

Há séculos, diferentes correntes filosóficas conhecem a importância do riso e praticam-no. Sabe-se que no antigo império chinês, há mais de 4.000 anos, havia templos em que as pessoas se reuniam para rir, a fim de equilibrar a saúde; na Índia também existiam templos sagrados nos quais se praticava o riso. Há indícios de que Hipócrates, no século 4 a.C., já utilizava a risoterapia para a cura de seus pacientes, por meio de jogos e brincadeiras. A verdade é que o riso provoca uma série de alterações fisiológicas no corpo humano, regulando os níveis hormonais, entre eles, a liberação de endorfinas, hormônio associado à sensação de bem-estar, além de aumentar a atividade imunológica e retardar o envelhecimento.

Mas não é só isso. De acordo com pesquisa de uma universidade norte-americana, o ato de rir expande as artérias, favorecendo a circulação sangüínea. Os pesquisadores constataram que o impacto de assistir a um filme engraçado equivale a uma sessão de exercícios aeróbicos. Assistir a filmes de guerra, por sua vez, reproduz reações que se tem em momentos de raiva, pois as imagens violentas induzem ao estresse mental que, por conseqüência, contrai as artérias e tensiona os músculos do corpo.

Pesquisadores do Instituto Garvan, de Sidney, na Austrália, descobriram que, durante períodos de estresse, nervosismo ou ansiedade, os nervos produzem grandes quantidades do neuropepitídeo Y (NPY), que, quando liberado no sistema sanguíneo, inibe as células do sistema imunológico encarregadas de destruir os agentes patogênicos (causadores das doenças) do corpo humano.

Além disso, em estados de tensão, toda a musculatura do rosto é involuntariamente contraída, resultando o aparecimento de rugas e acelerando o processo de degeneração na pele, ao passo que uma boa risada melhora a tonicidade da cútis, diminui a tendência à flacidez da derme e promove a vascularização e a oxigenação da pele, deixando-a nutrida e com uma aparência jovial.

Rir funciona, mas é preciso praticar com afinco. Para se beneficiar das propriedades terapêuticas que uma boa risada pode proporcionar, a primeira coisa a ser feita e reprogramar-se, substituindo os pensamentos negativos por outros positivos, alegres e confiantes.

Pessimismo leva ao estresse e à depressão. Pessoas pessimistas costumam sucumbir ante pensamentos negativos, e isso faz com que vivam o tempo todo ansiosas e angustiadas, sabotando suas próprias metas e reduzindo sua auto-estima e autoconfiança.

Adote um estilo de vida mais leve, em todos os sentidos. Desde a alimentação até os compromissos marcados em sua agenda. Eleja prioridades. Torne o seu dia mais feliz.

Se você se levanta da cama pela manhã achando que o seu dia será péssimo, certamente seu cérebro registrará essa informação — a primeira do dia — e contribuirá para torná-lo realmente péssimo. Mas se você acorda com um sorriso e sai da cama confiante de que seu dia será produtivo e que terá êxito em suas realizações, as chances de que isso aconteça são muito maiores.

Não há caminho sem pedras, mas as pedras no caminho podem perfeitamente ser diamantes. Já pensou nisso? Mesmo que tropecemos nelas, podemos nos levantar do tombo mais fortes do que quando caímos!

Permitindo-se sorrir, mesmo nos momentos mais difíceis, você estará ativando forças poderosas, que sinalizam para o seu corpo que a sua mente está serena. Isso o conduz em direção ao equilíbrio físico e mental e, nesse equilíbrio, encontra-se a chave para a solução da maioria dos problemas que o afligem. Portanto, sorria!

drlairDr. Lair Ribeiro — Palestrante internacional, ex-diretor da Merck Sharp & Dohme e da Ciba-Geigy Corporation, nos Estados Unidos, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. Médico cardiologista, viveu 17 anos nos Estados Unidos, onde realizou treinamentos e pesquisas na Harvard Unversity, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University.

Webpage: www.lairribeiro.com.br

e-mail: gruposintonia@lairribeiro.com.br

Tel. 0-55-11-3889.0038